Anuncios:

Ponencia

Sociabiidades, comensalidades e agenciamentos : uma analise da afinidade amazônica nas relações entre idigênas e nao-indigênas

Parte del Simposio:

SP.18: Um olhar socioantropológico sobre os modos de comer e viver na América Latina e no Caribe

Ponentes

Marcos Flávio Portela Veras

Universidade Evangélica de Goiás/UniEVANGÉLICA

Brasil

Esta comunicação apresenta uma abordagem etnográfica que retrata sociabilidades mediadas por comensalidades entre indígenas e não-indígenas na Amazônia Central. Na recepção de turistas, o ato de convidar a comer juntos é muito valorizado nesta comunidade. A mesa posta no centro da palhoça é um convite a ser ‘de casa’, onde os afins são consanguinizados, cabendo aqui fazer referência a comensalidade de Fausto (2002) quando este analisa a questão da alimentação como forma da produção de parentes. Em outras palavras, para se referir ao convite para comer juntos e em seguida fazer parte de uma rede de trocas e alianças. Contudo, a posição de ‘de casa’ logo após a visita pode mudar para a de estranhos e ‘inimigos’ por não atenderem às expectativas dos indígenas de comprarem artesanatos e fazerem doações. Esse processo contínuo de mudança da posição que se ocupa, é um elemento constitutivo da afinidade potencial, princípio geral da teoria da afinidade (VIVEIROS DE CASTRO, 2011) onde o tema da guerra e predação estão sempre latentes.