Anuncios:

Ponencia

As contribuições do antropólogo brasileiro Darcy Ribeiro para o pensamento latino-americano

Parte del Simposio:

SP.11: Los umbrales de las antropologías propias en América Latina y el Caribe

Ponentes

Gustavo Cardoso Pinheiro Lima

Universidade de Brasília, Centro Universitário de Brasília

Danielle de Castro Silva Lobato

Universidade de Brasília

O pensamento protagonizado por Darcy pode ser caracterizado pela busca de uma identidade nacional, de suas idiossincrasias e singularidades do Estado-Nação construídas a partir de um contexto de colonização e de sua introdução tardia ao capitalismo e à industrialização. Sobretudo ao enfrentamento dos processos históricos que caracterizam sua formação, constituída a partir de contínuos processos marcados pelo uso de violências de classe, raça/etnia e gênero.
Tal contribuição epistemológica torna-se instrumento simbólico para a atuação de uma diversidade de povos na história, a partir da organização de valores, interesses comuns que fujam ao que é defendido pelo estrato dominante e normatizações que abrem margem para a transgressão do status quo a partir da educação de massas. O desenvolvimento de identidades latino-americanas possui íntima relação com os processos históricos que demarcam esta região, esse tema é observável na obra Pátria Grande Latino-Americana (Ribeiro, 1995).
Na sua obra, “As Américas e a Civilização” (2010), o autor explica que no modelo de expansão econômica, os europeus possuíam a legitimidade do conhecimento oral e escrito, enquanto conhecimentos produzidos por países lationo americanos foram pouco considerados. O que o autor faz aqui, quando transpassa a questão do Brasil e transita pelas demandas da América Latina, é enfrentar um conhecimento instituído a partir de um pacto colonial. A hegemonia ideológica de base Europeia, impõe uma compreensão única e legítima de saberes com o intuito de estabelecer uma ordem específica é inviolável a qual desenvolve moldes econômicos, de poder, de justiça e de religiosidade. Enfrentar tais lógicas é romper e criar novas possibilidades de ser e produzir. Ou seja, é criar uma utopia a partir de constantes lutas políticas de resistência através das camadas dos dominados, na sua relação com os dominantes.
Para o autor, a melhor ferramenta de transformação social seria através dos movimentos sociais, como apontada no final da introdução da obra “O povo brasileiro” (Ribeiro, 2015) dos quais os principais pontos das reivindicações do movimento. Seria uma reescrever e construir um sentido a partir de uma nova história contada por seus agentes populares que vivam as peculiaridades de ser brasileiro a partir de uma vertente de resistência à hegemonia.
Por fim, para o direito à igualdade a partir de um pensamento latino-americano com contribuições do pensamento social brasileiro de Darcy Ribeiro é necessário um rompimento com os privilégios históricos dados há uma parcela da sociedade. A formação do Brasil com uma identificação ideológica com o padrão social e com o pensamento intelectual em moldes europeus, que remete a processos de estabelecimento do liberalismo eurocêntrico e aos processos de desenvolvimento industrial, adaptado, claro, à cultura brasileira.
Referências
RIBEIRO, Darcy. Pátria Grande Latino-Americana. São Paulo: Ática, 1995.
RIBEIRO, Darcy. As Américas e a Civilização. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2010.
RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.